Rumo Pré-Vestibular Assistencial

O Rumo Pré-Vestibular Assistencial é um curso preparatório para o vestibular e para o ENEM, oferecido gratuitamente para estudantes socialmente vulneráveis, de ensino público de Curitiba e região. O projeto conta com a participação de uma equipe formada por quarenta alunos da UTFPR e UFPR. O objetivo é oferecer uma preparação de qualidade a estudantes, a fim democratizar o acesso às principais instituições de ensino superior do país.

As aulas aconteceram de fevereiro a dezembro de 2013 no Colégio Estadual Professora Maria Aguiar Teixeira, em Curitiba-PR.

O NUEDH participou com a divulgação nos meios de comunicação internos do câmpus Curitiba, além da impressão de materiais informativos.

Curso Pré-Vestibular Assistencial (CPVA)

O objetivo do projeto foi oferecer preparação para o ingresso na universidade gratuitamente e de qualidade para pessoas socialmente vulneráveis.

Maratona de Cartas da Anistia Internacional na UTFPR

Os objetivos do projeto são:

  • Mobilizar o maior número de pessoas em prol de casos específicos relacionados com Direitos Humanos;
  • Despertar a solidariedade da comunidade interna do campus Curitiba;
  • Despertar a consciência da comunidade acadêmica em relação a problemas que afetam sociedades em todo o mundo.

Dos dias 10 a 14/12/2012, das 9h30 às 18h as cartas serão recolhidas, no estande de divulgação, localizado no pátio central do campus Curitiba.

Observações: Todo ano, a Anistia Internacional organiza uma Maratona de Cartas. Esse ano ela acontecerá de 07 a 16 de dezembro. O evento é uma jornada de mobilização e ativismo em prol de casos específicos. São escolhidos alguns casos internacionais e outros nacionais. No caso do Brasil, foram escolhidos quatro casos internacionais e dois brasileiros. A proposta é montar pontos de divulgação dos casos e coleta de cartas. Ao final da Maratona, as cartas são recolhidas e enviadas para os respectivos endereços.

O envio de cartas é particularmente importante, embora seja trabalhoso. Um exemplo concreto: o caso dos Guarani Kaiowa no Brasil. Suas terras ainda não foram totalmente demarcadas e, devido ao avanço do agronegócio e de criação de gado, há grande conflito por terra no Mato Grosso do Sul. É possível então fazer um apelo para as autoridades competentes solicitando que: demarquem as terras, garantam a segurança dos guaranis, que hoje sofrem muita violência por parte de homens armados contratados por fazendeiros locais. Quando é lançado um apelo mundial sobre um caso, ele vai para os 3 milhões de membros da Anistia diretamente e também para os respectivos sites em cada país. Esses membros e ativistas são acionados e se mobilizam escrevendo cartas às autoridades. Imaginemos o impacto das autoridades recebendo 100 mil ou até 150 mil cartas dos mais diferentes países. Isso traz muita pressão. Mais pressão que e-mails, por exemplo.